A Importância do Pré-Natal e Seus Beneficios

Muito se ouve a respeito dele e da sua importância durante a gravidez. Mas o que realmente é o pré-natal?

O pré-natal é o acompanhamento médico que uma gestante tem a partir do momento em que descobre sua gravidez, ou antes de completar três meses de gestação. Isso porque esse acompanhamento é de extrema importância tanto para o bebê como para mãe.

Porque o pré-natal é tão importante?

O acompanhamento médico durante o período da gravidez é crucial para assegurar a saúde da mãe e do bebê, pois  durante o pré-natal, a saúde dos dois são monitoradas. Além disso, com a realização do pré-natal, complicações no parto podem ser evitadas, preservando a saúde do bebê e da mãe, diminuindo drasticamente o risco de óbito de ambos.

Doenças como hipertensão, anemia, doenças transmissíveis pelo sangue da mãe como o HIV, entre outras podem ser identificadas durante os exames de pré-natal.

Caso alguma complicação seja identificada na saúde de um dos dois durante o pré-natal, muitas vezes é possível tratar os problemas antes e assim evitar que ele se agrave durante o parto.

Além de prevenir complicações, durante o pré-natal a mãe é instruída sobre como deve levar sua vida no período de gestação. Recebe dicas de como se alimentar e realizar atividades físicas de forma correta, além de ser avisada dos riscos do consumo de álcool, cigarro e drogas durante a gravidez.

Nesse período, a mãe e o pai podem se preparar para a chegada do bebê ao mundo, tirando todas as suas dúvidas, aprendendo durante o pré-natal.

 

Com qual frequência preciso ir ao médico?

Incialmente, as consultas são realizadas uma vez por mês, sendo que a primeira consulta precisa ser feita antes do terceiro mês de gestação. Com a proximidade do parto, a frequência deve aumentar. A partir da 32ª semana de gestação, as consultas devem ser realizadas de quinze em quinze dias; e após a 37ª semana, semanalmente. Após completar a 40ª semana de gestação, a grávida deve ser acompanhada a cada dois ou três dias pelo obstetra. Porém, para cada mulher, para cada gestação os períodos podem ser diferentes.

Exames realizados

Na primeira consulta do pré-natal, o médico solicitará que a gestante realize uma série de exames para checar sua saúde e a do bebê, além de identificar a presença de qualquer tipo de doença ou infecção.

Alguns dos exames solicitados são:

  • Grupo sanguíneo: identifica se há incompatibilidade sanguínea entre mãe e bebê.
  • Glicemia: exame para identificar se a mãe tem diabetes.
  • Anti HIV: exame necessário para identificar se há vírus da AIDS no sague da mãe. Caso haja, medicamentos são receitados para diminuir a chance de o vírus ser transmitido para o bebê.
  • Exames para detectar toxoplasmose, rubéola sífilis: essas doenças podem causar malformação no bebê.
  • Hepatite B: se a mãe possuir a doença, medicamentos podem ser tomados para reduzir a chance de o bebê também contrair a doença.
  • Exame de urina: muito importante para identificar se a mãe tem infecção urinária. A partir do diagnóstico, pode-se realizar um tratamento e evitar que a infecção se torne grave, levando à internação da gestante.
  • Ultrassonografias: através dos exames de ultrassom, a idade e formação do bebê são acompanhados.

Riscos que podem ser tratados ou amenizados durante o pré-natal

Hipertensão

Muitas vezes, um problema derivado da falta de cuidados com relação a alimentação saudável durante a gravidez, a hipertensão pode ser identificada na mãe e também no bebê.

A hipertensão pode levar à pré-eclâmpsia, e se não tratada, pode levar à eclampsia, que pode colocar em risco a vida da mãe e do bebê.

Para que essa condição seja evitada, é essencial o acompanhamento nutricional durante o pré-natal. O peso da mãe precisa ser acompanhado e ela deve ser orientada sobre como deve se alimentar para assegurar sua saúde e a do feto.

Anemia

Através de exames de sangue de rotina realizados durante o pré-natal, é possível identificar se a gestante está com anemia.

A anemia se dá pela falta de ferro no corpo. Durante a gravidez, a quantidade de ferro que precisa ser ingerida passa de 15mg para 27 mg.

Por isso o pré-natal também é importante nesse aspecto, pois com o acompanhamento nutricional da gestante e instrução para que ela se alimente de forma saudável, pode-se evitar a anemia, poupando sua saúde.

Menor incidência de prematuridade

O índice de prematuridade em casos de gravidez em que o pré-natal não foi realizado é de 40%. Já para os casos em que o pré-natal foi realizado, o índice cai para 10%.

O nascimento prematuro de um bebê pode trazer grandes complicações a ele e à mãe. Mais uma vez se vê a importância do pré-natal.

O pré-natal pelo Brasil em números

Segundo dados da pesquisa Saúde Brasil, realizada em 2014, três a cada quatro gestantes realizaram pelo menos seis consultas antes do nascimento do bebê.

No sudeste e Sul do Brasil, 83% das mães realizaram o pré-natal. No Nordeste, o número cai para 67% e no Norte o número de mães que realizam o pré-natal é menor: 57%.

Dá para perceber que apesar de ser um procedimento de extrema importância, muitas gestantes ainda não possuem acesso ao pré-natal. Nota-se que a porcentagem de mães que realizam as consultas é muito menor nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, comparando com as regiões Sul e Sudeste.

Isso porque em regiões mais pobres o acesso ao pré-natal é muito mais dificultoso. Falta dinheiro, falta tecnologia e principalmente, falta instrução.

O pré-natal é realmente importante!

Após passarmos por todas essas informações, não há dúvidas de que realizar o pré-natal é muito importante para que a gravidez seja um momento mágico, de realização; e que eventuais complicações possam ser evitadas ao máximo, garantindo à mãe uma vida tranquila durante a gestação. Vimos também que infelizmente, muitas mães não possuem acesso ou simplesmente não são instruídas a realizar as consultas em algumas regiões do Brasil.

Realizando o pré-natal, a mãe pode aproveitar sua gravidez com a tranquilidade de que tudo dará certo ao final e  de que terá seu esperado filho em seus braços em um breve tempo.